Memória de Alto Desempenho

Baixo custo, alta velocidade

Embora as memórias ilimitadas e rápidas sejam o desejo de qualquer programador, elas possuem alto custo e, geralmente, capacidade pequena. Porém, se o sistema for organizado em uma hierarquia com diversos níveis, memórias cada vez mais rápidas, menores e com custo por byte maior, serão colocadas em níveis mais altos.

A ideia é ter um sistema de memória com custo semelhante ao do nível mais baixo e com velocidade próxima ao do nível mais alto da hierarquia. A importância dessa estrutura aumentou nos últimos anos por conta do aumento do desempenho dos processadores.

O funcionamento dessa hierarquia de memória tem como base duas características encontradas nos programas. São chamadas de localidade temporal, posições de memória uma vez referenciadas que tendem a ser referenciadas novamente após um curto espaço de tempo; ou localidade espacial, quando uma posição de memória é referenciada e outras próximas tendem a ser logo referenciadas.

 

Desse modo, os princípios mais importantes da hierarquia de memória são:

Registradores: estão localizados no núcleo do processador. Têm como característica um tempo de acesso menor do que um ciclo de relógio e possui capacidade da ordem de centenas de bytes. O complicador faz, explicitamente, o controle das informações que devem estar nos registradores. Permite movimentações iguais apenas ao tamanho da informação desejada;

Memória cache: suas células são elaboradas com tecnologia que possibilita tempo de acesso menor do que a memória principal. Em geral, são células de memória estática (SRAM). Possuem menor capacidade, porém, com maior custo e velocidade;

Memória principal: é constituída por células de memória dinâmica (DRAM). Tem grande capacidade de armazenamento, mas são mais lentas do que as memórias estáticas. Além disso, possuem tempos de acesso diferentes para leitura e escrita. Precisam de uma lógica de restauração (ou refresh), embutida ou fora da pastilha, e que afetam o tempo médio de acesso;

Memória secundária: é o último nível da hierarquia de memória. Em sua composição estão os dispositivos de armazenamento de massa, geralmente discos rígidos de grande capacidade e menor custo por byte armazenado. Programas e arquivos são reunidos integralmente nesse tipo de memória.

O GridGain, solução comercializada pela Prime IT, ao contrário dos bancos de dados de memória, trabalha em cima de bancos de dados existentes. Por isso, não precisa de substituição ou alterações.

 

Consegue acelerar e dimensionar os aplicativos com uso intenso de dados em arquitetura de computação. Dessa maneira, permite que os usuários criem apps modernos, dimensionáveis e em tempo real. Pode se integrar automaticamente a diferentes sistemas RDBMS como, por exemplo, Oracle e MySQL. Além disso, fornece um ecossistema amplo de paradigmas de acessos e processamentos suportados.

GridGain® poderes a Empresa Digital com uma plataforma de computação in-memory construído sobre Apache ® IgniteTM, que fornece velocidade de memória e escalabilidade maciça para aplicações intensivas de dados. Ele não requer nenhum rasgo e substituição do banco de dados existente e pode ser implantado no local, em uma nuvem pública ou privada ou em um ambiente híbrido.

 

O Ignite™ é uma plataforma distribuída, centralizada em cache e de processamento de dados centrada na memória para cargas de trabalho transacionais, analíticas e de fluxo, oferecendo velocidades na memória em escala de petabytes.

eBook

Artigo

Fale com Especialista

Fale com nossos especialistas para saber mais sobre as soluções da Prime IT Solutions para seu negócio.

Veja Também

Thanks!

Fale conosco

Fale com nossos especialistas para saber mais sobre as soluções da Prime IT Solutions para seu negócio.

55 11 4133 3737

55 11 94711 0232

atendimento@primeit.com.br

Entre em contato